Salada e Vinho

Os Gastronômicos 

O vinho Bacalhôa Merlot é elaborado pela premiadíssima Bacalhôa Vinhos de Portugal, localizada na Península de Setúbal, Portugal. É de lá, dos vinhedos ao lado da sede atual da vinícola, que vem o primeiro vinho português 100% Merlot, tendo sido produzido pela primeira vez em 1986.

Até então, era raro encontrar vinhos em Portugal feito com outras castas que não as típicas portuguesas, como Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, entre outras.

Este vinho, da safra 2016, estagiou longos 21 meses em barricas de carvalho francês. Tem um ótimo potencial de guarda, e ainda pode ser envelhecido por pelo menos 8 anos em garrafa. É daqueles vinhos que vale a pena comprar mais garrafas e deixar 'esquecidas' na adega, e provar ao longo dos anos, com calma.

Na boca é cheio, complexo, com aromas que combinam fruta vermelhas maduras (cerejas e ameixas) e notas de chocolate ou até mesmo café.

 

É um vinho potente e, para tal, precisa de pratos à altura. Harmoniza com pratos mais fortes de carne, como cabrito, carnes de caça ou mesmo bracciola. Se preferir queijos, opte por aqueles de coloração bem amarelada (Taleggio, Edam ou até um Reino) e mais maturados.

Belo exemplar da região de Puglia, bem ao sul da Itália, no famoso ‘salto da bota’.

 

Este vinho, da safra 2017, é feito 100% com a casta Primitivo, também conhecida como Zinfandel nos Estados Unidos.

Sobre esta casta, muitos afirmam que ela tem origem justamente na região de Puglia. Outros pesquisadores alegam que ela possui raízes na Croácia, já que pela genética se assemelha à uva Tribidrag (ou Crljenak Kaštelanski, seu nome localmente).

O que se sabe é que seu nome é uma referência à sua maturação. Enquanto as outras castas tintas costumam amadurecer em meados de outubro, a Primitivo já encontra-se madura em agosto.

O Codici Masserie Primitivo não tem passagem por barrica e apresenta aromas que vão desde frutas vermelhas, até notas intensas de especiarias mais doces , como cravo e canela. Em boca é 'redondo', convidativo e possui um final delicado e elegante.

Esse vinho harmoniza perfeitamente com pizza Napolitana, queijos italianos maturados como Pecorino e Parmesão, carnes assadas ou mesmo um clássico bife a Parmegiana.

Recomenda-se servi-lo a uma temperatura um pouco mais baixa que de outros tintos: entre 12 e 14°C.

# DICA DA CLAUDIA

Para melhor aproveitar seu vinho tinto, ele não precisa ser consumido gelado. Na verdade, o frio em excesso vai deixar seu vinho muito adstringente, causando uma sensação desconfortável de "amarrar a boca" (como ao comer um caqui verde).

Se quiser aproveitar ainda mais o Bacalhôa Merlot, recomendo deixá-lo em um decanter por cerca de 30 a 45 minutos. Seus aromas se abrirão mais rapidamente, o que tornará sua experiência mais rica. Mas lembre-se, isso não é obrigatório! Com certeza você irá amá-lo mesmo sem um decanter. :)

Deixe sua mensagem aqui
np_iphone_2290305_671E3A.png
  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone

+55 11 95369-7513

np_email_1569998_671E3A.png

claudiamelowines@gmail.com